Score de Cibersegurança: Uma Necessidade Crescente para Empresas no Brasil

Em um cenário onde os crimes digitais se proliferam em uma velocidade alarmante, a segurança digital tornou-se uma prioridade incontestável para as empresas. Nesse contexto, o “score de cibersegurança” emerge como um fator crucial nas negociações e contratações de serviços de tecnologia, refletindo o nível de segurança digital alcançado por uma empresa.

Nos Estados Unidos, essa prática já é uma realidade consolidada, e no Brasil, caminhamos para a mesma direção. Com a crescente exposição na internet, o score de cibersegurança avalia as boas práticas adotadas por uma empresa, oferecendo uma visão clara do seu nível de proteção no ambiente digital.

A importância desse score é destacada pelo fato de que, sem uma avaliação rigorosa dos fornecedores, as empresas correm o risco de enfrentar violações de dados e ataques cibernéticos. A proteção de informações confidenciais e dados sensíveis tornou-se prioridade máxima, levando a um processo de contratação de fornecedores cada vez mais criterioso.

A Akamai Technologies realizou uma pesquisa em 2020 para avaliar a conformidade das organizações brasileiras com a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Surpreendentemente, 64% das empresas não estavam em conformidade. Embora o cenário possa ter mudado desde então, a análise dos números sugere que a avaliação criteriosa dos fornecedores continua sendo essencial.

Além dos riscos de violação de dados, muitos setores enfrentam regulamentações rigorosas que exigem medidas específicas de segurança. Portanto, a análise aprofundada dos fornecedores é crucial para garantir a conformidade com esses requisitos legais, uma vez que correr riscos nesse aspecto não é uma opção viável.

Uma violação de segurança em um fornecedor pode ter ramificações sérias, interrompendo operações, causando perda de dados críticos e afetando adversamente a continuidade dos negócios. Avaliar o score de segurança dos fornecedores não apenas reduz esses riscos, mas contribui para uma cadeia de suprimentos mais robusta e resiliente.

Para os fornecedores que buscam manter ou melhorar seu índice de segurança, a incorporação de boas práticas torna-se imperativa. Isso inclui medidas como autenticação robusta, criptografia eficaz, uso de senhas complexas, monitoramento em tempo real do ambiente digital e controle de acesso rigoroso.

Em conclusão, nunca é tarde para dar o primeiro passo em direção a uma segurança digital aprimorada. Em um mundo onde as ameaças cibernéticas são uma realidade constante, a avaliação cuidadosa dos fornecedores é um investimento essencial para a continuidade e a integridade dos negócios. Que tal começar agora?

Comente com sua conta Wordpress ou Facebook